Conheça 6 mitos e verdades sobre doação de sangue

imagem de uma mulher em um fundo verde com uma expressão de dúvida

É comum ouvir uma série de comentários e preocupações em relação à doação de sangue. Muitos têm medo da dor, de um possível desconforto ou indisposição após a doação. Rumores circulam também sobre possíveis consequências à saúde do doador, informações erradas que acabam diminuindo a aderência das pessoas às campanhas.

Mas a verdade é que a doação de sangue é um processo praticamente indolor, realizado apenas quando o doador tem condições de doar. Veja mitos e verdades sobre a doação e esclareça suas dúvidas!

MITO: Doar sangue prejudica a saúde do doador

Não precisa ter medo: a quantidade de sangue coletada é calculada de acordo com as características físicas do doador, e dentro de 24 horas o corpo já completa o volume retirado.

VERDADE: Grávidas, lactantes e idosos não podem doar

Mulheres grávidas ou que estejam amamentando não podem ser doadoras: devem esperar 12 meses desde o parto para fazê-lo. Pessoas acima de 69 anos também não podem doar.

MITO: Há risco de contágio de doenças

O processo de doação sanguínea é completamente seguro para o doador: todo o material utilizado é esterilizado e descartável. Assim, não há contato algum com o sangue de outros indivíduos e o doador não tem risco de contágio.

VERDADE: Vacinas limitam a possibilidade de doação

Algumas vacinas, como a contra gripe, exigem um período de quatro semanas entre a data da vacinação e da doação. Outras, como a hepatite B, demandam 48 horas de espera.

MITO: Doar pode afinar ou engrossar o sangue do doador

Nada acontece com o sangue do doador após uma doação. A quantidade varia de acordo com as características físicas de cada um, mas fica na média de 10% do volume total do corpo, que é reposto dentro de 24 horas. A condição do sangue não é afetada: nem engrossa, nem afina.

VERDADE: Tatuagens e piercings limitam a possibilidade de doação          

Fazer tatuagens e piercings apenas implica um intervalo maior até a próxima doação, mas não a impede. É apenas necessário esperar um ano desde a data, e o doador pode voltar ao banco mais próximo.

Agora é o momento de participar: seja um doador da campanha Sangue Fraterno!

Clique aqui e saiba mais.