Trabalho voluntário melhora saúde mental e traz mais qualidade de vida

Essa é a experiência prática de quem está envolvido em ações solidárias

O profissional de hotelaria Felipe Arruga ainda era criança quando teve o primeiro contato com o voluntariado. Seus pais costumavam levar a família a visitas em asilos e orfanatos em datas específicas, como Natal e Páscoa, para que criassem desde cedo a consciência de que precisavam ajudar o próximo. Os anos se passaram, mas Arruga manteve na cabeça o que aprendeu com os pais e sempre esteve envolvido em algum tipo de projeto. Atualmente, aos 44 anos, faz parte do grupo Fogão na Rua, que distribui refeições, cobertores e itens de higiene para moradores de rua no centro de São Paulo. A cada novo encontro, o bem-estar pessoal cresce dentro dele.

Clique aqui para acessar a máteria completa.