Como uma voluntária mudou a história de um atleta (que levou o ouro) em Tóquio

O corredor jamaicano Hansle Parchment venceu o ouro nos 110m com barreiras nos Jogos Olímpicos

 

O corredor jamaicano Hansle Parchment, de 31 anos, venceu o ouro nos 110m com barreiras nas Olimpíadas por um milagre.

Ele pegou o transporte errado na Vila Olímpica no dia 4 de agosto e foi parar em uma das competições aquáticas. Todos os carros oficiais dos jogos estavam agendados e a volta de ônibus o faria perder a hora da competição.

Foi então que ele foi salvo por Trijana Stojkovic, uma das voluntárias do evento. “Eu implorei porque sabia que ela não tinha permissão de fazer muita coisa. Mas ela me deu dinheiro para pegar um táxi. E assim eu consegui chegar a tempo para o aquecimento e a corrida”, contou o atleta em um vídeo nas redes sociais.

Com um ouro inédito e improvável (ele não venceu as classificatórias nem fez o melhor tempo na semifinal), Parchment voltou para agradecer sua salvadora, devolver o dinheiro, entregar uma camisa da Jamaica e mostrar a beleza de sua medalha. “Consegui porque você me ajudou”, disse ele.

O governo jamaicano também demonstrou gratidão pelo gesto de bondade da voluntária e a convidou para fazer uma viagem ao país.

Trijana também agradeceu por todo o carinho que tem recebido. “Estou muito grata a todos, este é um presente do querido Hansle. O ajuste é perfeito! Muito obrigado querido Hansle! Obrigada a todos pelos pensamentos gentis. Suas palavras me salvaram muito. Oro pela saúde e felicidade de todos.”

Fonte: G1.