Jovens fazem campanha para transformar ferro-velho em biblioteca em comunidade rural

Fazer da sucata de um ônibus o espaço de leitura em Limoeiro do Norte motiva crianças e jovens na campanha Carona Literária

Nem tudo é o que se enxerga. Um livro, muito além de papel, é guardador de histórias e conhecimento. Quando Neidinha, Samuel e outros jovens da comunidade de Espinho, em Limoeiro do Norte, passaram pelo ferro-velho e encontraram um “cemitério de ônibus”, viram em um deles uma biblioteca. Olharam para a carcaça e imaginaram estantes de livros, mesas e cadeiras para leitura. A viagem é continuada pelos livros.

“Você entrar num ônibus sem cabine e, de repente, ser transportado através da leitura”, sonhou Samuel Lino, “é dar oportunidade para que crianças, adolescentes e idosos tenham acesso à leitura”. Samuel, de 18 anos, é jovem voluntário da comunidade e um dos porta-vozes da campanha Carona Literária.

Com a doação do ônibus-sucata pelo proprietário, os jovens se reuniram para levar o ferro-velho para perto de um antigo campo de futebol, no centro da comunidade. A ideia só ficava mais clara: esporte e leitura como aliados.

De boca em boca, a moçada saiu atrás de quem somasse no sonho e encontrou Cecília Amorim, arquiteta que mora bem perto da Associação Unidos para o Progresso, que há mais de 30 anos atua com crianças e jovens da comunidade como Samuel Lino, Ricley Barbosa, Sara Veruska, João Pitombeira e Daniel dos Santos, parte do grupo Geração Unida, por sua vez, integrante da Rede de Juventude em Defesa de seus Direitos Sociais (Rejudes), espalhada por todo o Brasil. Eles são alguns dos sonhadores. Ana Lívia, de 7 anos, entrou no ônibus e começou a imaginá-lo cheio de prateleiras de livros.

Cecília desenhou o projeto do ônibus literário e deu forma ao sonho, aumentou o entusiasmo. Dezenas de livros já foram doados por pessoas de dentro e de fora da comunidade. Como realidade nos interiores, a comunidade de Espinho sofre com carência de acesso a espaços de leitura, mas nunca esperou por entes públicos: antes da pandemia havia a campanha ‘garupa literária’, com uma bicicleta carregada de livros estacionando uma semana por cada rua

“CARONA LITERÁRIA”

Com o sonho crescido, agora nas redes sociais, foi criada a campanha “Carona Literária”: as pessoas doarem qualquer quantia para que se realize a ‘passagem para leitura’ no ônibus-sucata. No Instagram da associação, fotos e vídeos mostram como funciona o projeto. Com tudo desenhado e a planilha já em mãos, precisam arrecadar R$ 30 mil. E se movem com a certeza de que irão: nesta sexta-feira (20) lançam o livro “Líderes que inspiram”, com as memórias dos antigos e atuais protagonistas da própria comunidade, situada entre a BR-116 e o Rio Banabuiú. Gente como dona Gisela Pitombeira, 85, verdadeira matriarca da comunidade, anciã respeitada por sua história.

“Nunca podemos esquecer que a leitura nos livra da ignorância”, lembra Neidinha Azevedo, uma das idealizadoras. Na oportunidade de reafirmar a campanha, os jovens irão vender comida na pracinha ao lado da Capela de Santa Luzia, como quem oferece um ticket de viagem. E o ônibus, sem roda e sem cabine, um dia se transforma em nave espacial, pois não é necessário mais do que um livro para viajar.

MAIS INFORMAÇÕES
CAMPANHA CARONA LITERÁRIA

Comunidade de Espinho – Limoeiro do Norte
Associação Unidos para o Progresso
Instagram: @associacaounidos
www.unidosparaoprogresso.org.br
Pix: [email protected]

 

Fonte: Diário do Nordeste.