ONG de incentivo a doações de órgãos e tecidos conquista novo prédio para pousada

Entidade oferece casa de hospedagem gratuita em Porto Alegre a pessoas de baixa renda pré e pós-transplante e a seus acompanhantes; o próximo passo é a reforma

— Nós vamos poder receber mais pessoas e não vai ser necessário pagar aluguel, então isso já dá uma ajuda bem significativa — explica Lucia.

Reformas

No espaço utilizado hoje, segundo ela, é possível receber até 20 pessoas, mas por conta da pandemia a ocupação teve de ser reduzida.

Para começar a usar o imóvel cedido pela prefeitura, são necessárias reformas. Uma empresa está encarregada de fazer o projeto inicial. Na sequência, a ONG partirá em busca de parceiros para custear a obra. Como descreve Lucia, a colocação de divisórias para os quartos é uma das mudanças a serem feitas. A expectativa da presidente da entidade é de que a pousada no novo endereço esteja pronta até o final de 2022.

Do interior da Paraíba

Vindos de São José da Lagoa Tapada, município do interior da Paraíba, Simone dos Santos Ramos e seu filho, Gustavo Ramos Batista, 13 anos, conhecem a pousada desde 2016. Na ocasião, o menino foi a uma consulta em Porto Alegre e, devido à gravidade do seu quadro clínico, ficou internado. Ainda naquele ano, Gustavo recebeu um transplante de rins e, desde então, junto à mãe, ele volta à capital gaúcha de meses em meses para exames de revisão. Na maior parte das vezes, os dois se hospedam na pousada Solidariedade.

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 24/11/2021- É buscando diminuir a lista de espera por transplantes que a ONG Via Vida tem atuado desde 1999 e, recentemente, conquistou um espaço onde poderá ampliar o trabalho que já vem realizando. No último dia 11, uma cerimônia marcou a entrega das chaves de um imóvel da prefeitura à entidade, onde será possível expandir a iniciativa da pousada Solidariedade, uma casa de hospedagem gratuita a pessoas de baixa renda de todo o país, em situação de pré e pós-transplante, e a acompanhantes. Na foto, (mãe)Simone, 35 anos ao lado de Gustavo, 13 anos(filho). Foto: Lauro Alves / Agencia RBS<!-- NICAID(14949483) -->

Atualmente, Simone e Gustavo (na foto, na pousada Solidariedade) voltam a cada três meses para Porto AlegreFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

— Tem gente de vários lugares, então um vai se apoiando no outro, porque, como a gente está em casa de apoio, vem tudo na mesma situação e vai tendo aquele laço de família — percebe Simone.

Gustavo conta que o que mais gosta de fazer no local é jogar futebol: seja no videogame, seja com a bola no pátio.

Assim como estadia e alimentação, na pousada, a ONG oferece gratuitamente oficinas e apoio pedagógico e psicológico. Os hóspedes são indicados por assistentes sociais de hospitais transplantadores da Capital, que fazem uma análise socioeconômica das pessoas na lista de transplante, em revisão ou no pós-operatório. Aquelas que não têm condições financeiras de se manter em Porto Alegre são encaminhadas à casa de hospedagem.

Fonte: Diário Gaúcho.