Descendentes de poloneses realizam ato em solidariedade à Ucrânia em Porto Alegre

Após o ato, foi realizado um almoço para angariar fundos a serem repassados às vítimas da guerra

O Consulado Honorário da Polônia no Rio Grande do Sul, em conjunto com a Capelania Nossa Senhora dos Poloneses e Sociedade Polônia de Porto Alegre, promoveu neste domingo um ato em solidariedade ao povo ucraniano. Na sede da capelania, no bairro Navegantes, foram recebidos descendentes de ucranianos de Canoas e Porto Alegre.

“O objetivo é oferecer solidariedade ao povo ucraniano. Através desse ato, o povo descendente de poloneses no Estado se une à Polônia na ajuda em função da invasão russa na Ucrânia”, afirmou o cônsul honorário Sérgio Sechinski. A Polônia, país vizinho ao onde se desencadeia a guerra, vem sendo uma rota de fuga para os ucranianos.

Uma das representantes da Comunidade Ucraniana de Canoas, a assistente administrativa, Natasha Velychko agradeceu o apoio através da manifestação.  “É muito importante, pois a gente pensa que a guerra está tão longe e na verdade sentimos isso dentro do coração. É muito triste ver histórias que minha bisavó contava se repetirem agora”, disse à reportagem, não conseguindo conter a emoção que transparecia em lágrimas nos olhos.

A bisavó de Natasha deixou a Ucrânia durante a guerra. “Ela contava histórias dignas de filme de terror. Ela saiu de lá conseguindo levar só um garfo, uma colher e meu avô, que tinha seis anos. Ele jamais gostou de falar no assunto pois, como criança, ficou muito marcado”, relembra.

O capelão Zdzislaw Malczewski, que é polonês, relembrou que naquele período histórico, em meio à Segunda Guerra Mundial,  os dois povos chegaram ao país vindos da Europa. “Ao mesmo tempo que chegavam os imigrantes poloneses ao Brasil estavam chegando os ucranianos. Somos vizinhos”, disse.

Após o ato, seguido de uma cerimônia religiosa em polonês, foi realizado um almoço para angariar fundos a serem repassados às vítimas da guerra na Ucrânia. Simultaneamente, em Canoas, no bairro Niterói, também foi realizado um almoço beneficente. “A ideia dessa ação surgiu por conta da mobilização em todo o mundo. Entendemos que temos a obrigação de fazer nossa parte. Representa nosso amor por essa pátria, cultivado desde o nascimento e passada de geração em geração. Teremos outras ações a seguir”, afirma a presidente da Comunidade Ucraniana de Canoas, Swetlana Margaret Cvirkun.

Fonte: Correio do Povo