Iniciativas de solidariedade: veja como ajudar as vítimas da guerra na Ucrânia

Iniciativas buscam minimizar o sofrimento e os prejuízos materiais das vítimas dos ataques russos à Ucrânia

Fonte: Sempre Família

Em meio ao caos ocasionado pela guerra, iniciativas de solidariedade buscam minimizar os sofrimentos físicos e os prejuízos materiais, levando esperança às vítimas dos ataques russos na Ucrânia.

Na última semana, usuários de uma plataforma de hospedagem que oferece opções de estadia além dos tradicionais hotéis, como em casas de família, passaram a fazer reservas de acomodações como forma de enviar dinheiro aos cidadãos ucranianos.

A ideia nasceu com Tommy Marcus, administrador da conta Quentin Quarantino nas redes sociais, que ao sugerir a ideia de reservar uma acomodação sem utilizá-la, como forma de doar dinheiro, surpreendeu-se pela alta adesão de seus seguidores. Em apenas dois dias, mais de 61 mil noites na Ucrânia haviam sido reservadas por hóspedes do mundo inteiro.

“Espero que você e seu lindo apartamento estejam seguros e que essa guerra horrível termine… e a Ucrânia esteja segura”, disse um doador, segundo informações da CNN. “Eu irei vê-lo um dia, por favor, conte com isso, e ficarei com você quando nós o visitarmos. Deus o abençoe e Deus esteja com você, sua cidade, seu país.”

Para contribuir com a assistência financeira aos ucranianos, a plataforma deixou de cobrar as taxas para os anfitriões e hóspedes receberem as doações diretamente, sem qualquer desconto.

Além disso, o site de hospedagem está oferecendo moradia temporária para 100 mil refugiados ucranianos sem custo e disponibilizou uma plataforma de apoio à população ucraniana que possibilita a divulgação de residências abertas para acolher os refugiados ou oferecer doações a eles.

Representação Ucraniana no Brasil

A comunidade ucraniana no Brasil existe há 130 anos e é composta por instituições civis e religiosas, algumas centenárias. Desde 1985, frente à necessidade de criar uma representação central de todas as organizações da comunidade, criou a Representação Central Ucraniano-Brasileira, conforme explica o presidente Vitório Sorotiuk.

A representação incorpora a Igreja Greco-Católica, composta de 260 comunidades, a Igreja Ortodoxa, com 18 comunidades, outras instituições religiosas, grupos folclóricos e também sociedades civis em diversos estados, como São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, que abriga a maior comunidade ucraniana do Brasil, em Prudentópolis.

“Nesse momento fizemos um trabalho político, não partidário, assessorando o Brasil a adotar uma posição de apoio ao governo da Ucrânia, condenando a invasão russa e contribuindo para a estruturação da ajuda humanitária”, conta Sorotiuk.

Como ajudar?

Para contribuir com a ajuda humanitária e a criação de políticas de apoio às vítimas da agressão Russa, a Representação Central Ucraniano-Brasileira criou o movimento Humanitas Brasil-Ucrânia. A iniciativa é formada por entidades de descendentes ucranianos, como clubes, associações, igrejas, além de instituições públicas e privadas de não descendentes.

“É um movimento informal, pacifista e pluralista, o que nos une é a vontade de fazer o bem, propiciando a diminuição do sofrimento do povo ucraíno”, destaca Vitor Hugo Burko, presidente do grupo.

O movimento conta com apoio de dois governos estaduais e, além disso, também selou acordo com o alto comissariado das Nações Unidas para refugiados. Através de suas atividades, o movimento possibilita que os cidadãos brasileiros auxiliem o povo ucraniano com doações monetárias, alimentos e insumos médicos, acolhida dos ucranianos que estavam em trânsito pelo Brasil e preparação das comunidades para acolhida dos refugiados.

“Muitos ucranianos estavam em passeio ou trabalho no Brasil e foram surpreendidos pela guerra, ficando impossibilitados de retornar para sua casa”, explica Burko. “Portanto, precisamos pensar em casas para acolher tanto esses ucranianos quanto os que chegarão refugiados, pensando em formas de integrá-los na sociedade, inserindo-os no mercado de trabalho, com suporte financeiro e psicológico”.

Os recursos financeiros são transferidos para ajuda humanitária na Ucrânia pela embaixada e é capaz de auxiliar de forma mais célere as vítimas da guerra. Todas as informações necessárias para poder contribuir com o povo ucraniano estão no site oficial.

Outras iniciativas

Além do movimento Humanitas Brasil-Ucrânia, as pessoas que desejam prestar solidariedade aos ucranianos também podem fazer doações por uma iniciativa da CNBB Sul 2 (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), Metropolia e Eparquia Católica Ucraniana e Cáritas Paraná, por transferência bancária.

A ação, nomeada como “Pela Ucrânia, pela Vida!” conta com o apoio da Rede Cáritas, que disponibilizou uma conta para arrecadação dos recursos que serão enviados para ajuda humanitária ao povo ucraniano, vítima da guerra.

Fonte: Sempre Família