Paraná passa a ter conselho para impulsionar atividades de economia solidária

A estimativa, em médio prazo, é que sejam beneficiados 2 mil empreendimentos e 100 mil trabalhadores

O grupo de nove conselheiros do Conselho Estadual de Economia Solidária do Paraná foram empossados nesta terça-feira (15) pelo secretário de Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.  O Conselho tem agora sua primeira constituição. Ele foi criado para atender as pessoas que desejam se organizar em novos empreendimentos na área ou consolidar aqueles já constituídos, como cooperativas de catadores de papel e associações de artesanato.

A estimativa é que, em médio prazo, sejam beneficiados 2 mil empreendimentos e 100 mil trabalhadores. “Esse conselho será uma importante ferramenta para o desenvolvimento de ações da Política de Economia Solidária. Caberá a ele elaborar políticas públicas e trazer ideias, principalmente para aqueles empreendedores de menor porte, que no futuro poderão gerar empregos”, disse o secretário da Justiça, Família e Trabalho do Paraná, Ney Leprevost.

A lei que institui a Política Estadual de Economia Solidária foi regulamentada pelo decreto 3.932/2020, assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior. O conceito de economia solidária vem do trabalho realizado de forma cooperativa para produzir bens e cultura, prestação de serviços, comercialização e realização de operações de crédito. O resultado deve ser partilhado equitativamente entre os participantes de cada projeto.

O deputado Professor Lemos, autor da lei 19.784/18 que criou a Política Estadual de Economia Solidária, destacou a atuação da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho. “A secretaria vêm fazendo um trabalho diferenciado, muito positivo, e esse conselho está sendo construído há muito tempo e a muitas mãos”.

Cabe ao Conselho e à sociedade construírem programa com a Secretaria para atender iniciativas de geração de renda e enfrentar a dificuldade econômica causada pela pandemia. “A economia solidária é diferenciada na nossa sociedade, porque a riqueza criada vai diretamente para a mão do trabalhador”, destacou o procurador Olympio de Sá Sotto Maior.

CONSELHEIROS – Os representantes do governo estadual são Alberto Ricardo Opolz (titular) e Milton Kubicke Rech (suplente), da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho; Rodriano de Souza (titular) e Desirée Barbosa Santiago (suplente), da Superintendência Geral do Diálogo e Interação Social; Valdenir Batista Veloso Neto (titular) e Márcia Cristina Stolarski (suplente), da Secretaria de Agricultura e do Abastecimento.

São três representantes de Empreendimentos Econômicos Solidários: Tânia Mara Jubanski dos Santos (titular) e Israel Lourenço (suplente), da Rede Paranaense de Economia Solidária Campo-Cidade – Rede Mandala; Edson Leonardo Pilati (titular) e Adilson Gumieiro (suplente), da Cooperativa Mista de Agroindustrialização e Comercialização da Agricultura Familiar e Reforma Agrária; Ronaldo José Moreira (titular) e Marilene da Silva Queiroz (suplente), da Associação dos Artesãos de Cascavel – Ninho das Artes.

Representantes de Entidades de Apoio e Fomento: Maria Luisa Carvalho (titular) e Marcos Antonio Silvério (suplente), da Rede de Incubadoras Universitárias de Apoio a Fomento à Economia Solidária do Paraná; Marcos Vinícius Regazzo (titular) e Rosangela Rigoni (suplente) da Cáritas Brasileira; Maria de Fátima Costamilan (titular) e Marcos José Ferreira (suplente), da ONG Moradia e Cidadania do Paraná.

PRESENÇAS – Também participaram do evento os vereadores Alexandre Leprevost, Professora Josete e Márcio Barros; o deputado estadual Guto Silva; o vice-prefeito de Guaratuba, Edson Camargo, representando os prefeitos, e a secretária de Assistência Social de Colombo, Elis Lazarotto.