Mulheres constroem vila de mini-casas para abrigar mulheres em situação de rua

Em Seattle, no extremo oeste dos EUA, uma pequena comunidade de mini-casas foi construída por uma ONG para pessoas que, até então, viviam em situação de rua

O que torna a iniciativa extraordinária é que as moradias foram construídas por mulheres voluntárias, para mulheres em situação de vulnerabilidade.

A comunidade, batizada de “Whittier Heights Village”, fica escondido entre um estacionamento de um banco e um complexo de apartamentos de quatro andares no bairro de Ballard, em Seattle.

São 16 mini-casas ao todo (ou “tiny homes”, em inglês), com espaço suficiente para abrigar até 20 mulheres por temporada.

De acordo com o portal “Yes Magazine”, a construção da vila segue uma tendência crescente na cidade, que sofre com o aumento do número de pessoas que vivem em situação de rua.

Mulheres constroem vila de mini-casas para abrigar mulheres em situação de rua

As mini-casas são estruturas de até 10 metros quadrados que fornecem moradia, segurança e estabilidade para pessoas desabrigadas. Na Whittier Heights Village, as residências são exclusivas para o gênero feminino.

“É uma necessidade da comunidade. Há muitas mulheres sem-teto. Algumas delas se sentem mais confortáveis ​​em um ambiente de um único sexo”, disse Sharon Lee, diretora executiva da ONG Low Income Housing Institute.

A vila foi totalmente financiada através de doações públicas e privadas. Ali, se abrigam mulheres que perderam tudo que tinham – com poucas distinções: há grávidas, idosas, jovens, veteranas do Exército e também casais do mesmo sexo.

De mulheres, para mulheres

Chama a atenção no projeto que toda sua infraestrutura foi levantada predominantemente por dezenas de mulheres voluntárias, muitas delas sem experiência prévia na construção civil.

Outras compartilharam todo o seu conhecimento em áreas como carpintaria, elétrica, encanamento e pintura para fazerem a diferença.

E não há melhor hora de colocar o voluntariado em prática do que este, haja visto que apenas no condado de King há mais de 11,6 mil pessoas vivendo em situação de rua.

“A ideia é colocar as pessoas em um ambiente seguro, para que não vivam mais em uma barraca ou em um saco de dormir na rua”, disse Sharon ao portal Crosscut.

A vila Whittier Heights Village é utilizada como uma solução temporária e rotativa, já que as mulheres abrigadas são acompanhadas pelo Estado e por assistentes sociais, e logo conseguem trabalho e renda suficientes para deixar o local.

Mulheres constroem vila de mini-casas para abrigar mulheres em situação de rua 2

“Tiny Homes”

Conforme explica o Low Income Housing Institute (Instituto de Habitação de Baixa Renda, em tradução livre), as tiny homes – mini-casas, – são estruturas de 2,5 por 3,5 metros construídas para atender a população sem-teto do estado de Washington.

O espaço é curto, mas suficiente para uma cama e alguns móveis para guardar objetos como roupas e alimentos.

Cada abrigo custa apenas US$ 2,5 mil (R$ 12,5 mil) para ser construído, pago por meio de doações de terceiros. Eles contam com isolamento térmico, eletricidade e uma porta com chave. Nas áreas comuns há cozinha completa e banheiros, compartilhados entre as moradoras do local.

Excelente iniciativa que poderia vir para o Brasil, né?

Fonte: Razões para acreditar