Páscoa motiva a solidariedade em prol de crianças atendidas pela Ação Social

Caixas de bombons arrecadados entre atletas e técnicos de Curitiba

Atletas, paratletas, técnicos e instituições esportivas arrecadaram 2.264 caixas de chocolates na Campanha de Páscoa promovida pelo Incentivo Solidário, do Programa Municipal de Incentivo ao Esporte da Prefeitura de Curitiba.

Todos os chocolates serão encaminhados para crianças atendidas pela Fundação de Ação Social (FAS). Ontem, foram entregues as caixas arrecadadas na sede da Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj), entre os dias 21 de março e 1º de abril.

A Campanha de Páscoa faz parte da contrapartida social do Programa Municipal de Incentivo ao Esporte da Prefeitura. O diretor de Incentivo ao Esporte e Promoção Social, Guilherme Schlichta, explicou que a adesão dos beneficiários à campanha foi excelente.

Durante o ano outras campanhas do Incentivo Solidário serão feitas. Agora já está em andamento a arrecadação de alimentos não perecíveis e cobertores. Os beneficiários do Incentivo ao Esporte podem fazer as doações nas dez Administrações Regionais da cidade.

As doações podem ser feitas até o dia 29 de abril e serão encaminhadas para o Doe Solidariedade da Fundação de Ação Social (FAS).

Empresa

A Páscoa solidária também inspira empresas. Para essa Páscoa, a Cuore di Cacao elaborou um ovo de chocolate dedicado ao Hospital Pequeno Príncipe. A novidade alia o já conhecido chocolate artesanal da marca, ao leite, com flor de sal e flocos de arroz. Essa criação, inclusive, foi medalha de prata no Academy of Chocolate de Londres, premiação dos melhores chocolates artesanais do mundo, em 2020. Com 250 gramas, o ovo sai por R$ 129 e terá parte da venda doada ao Hospital Pequeno Príncipe.

O Pequeno Príncipe é uma instituição filantrópica sem fins lucrativos, oferecendo assistência hospitalar para crianças e adolescentes há mais de 100 anos. O hospital faz procedimentos que vão de consultas a tratamentos complexos como transplantes de rim e coração. No ano passado, em plena pandemia, foram 200 mil atendimentos e 14,7 mil cirurgias.