Como e onde podemos resolver nossos problemas sociais? Qual o papel da cidadania?

O papel da cidadania na vida em sociedade permite compreender a qualidade do indivíduo enquanto cidadão, ser sujeito de direitos e deveres

Como e onde podemos resolver nossos problemas sociais? É uma indagação que vamos responder ao longo de uma vida. Um caminho mais harmônico para a convivência das pessoas em sociedade envolve diretamente o exercício da cidadania.  A relação do cidadão com o Estado é dupla, os cidadãos participam da fundação do Estado, e portanto estão sujeitos ao pacto que o criou, que no Brasil ocorre a partir da promulgação da Constituição Federal de 1988.

Nesse sentido, o Estado pertence aos próprios cidadãos, sendo assim os mesmos têm o dever de zelar pelo bem público e participar, seja por meio do voto, seja por outros meios, formais e informais, do acompanhamento e fiscalização da atuação estatal.

Ser cidadão é ter o direito a ter uma ideia e também poder expressá-la. É poder votar em quem lhe convier, sem constrangimentos. 

Conforme conceitua  o jurista Dalmo Dallari: 

“A cidadania expressa um conjunto de direitos que dá à pessoa a possibilidade de participar ativamente da vida e do governo de seu povo. Quem não tem cidadania está marginalizado ou excluído da vida social e da tomada de decisões, ficando numa posição de inferioridade dentro do grupo social”. 

O papel da cidadania

A cidadania está em construção contínua, é uma conquista da humanidade. É por meio da cidadania que se pode sempre buscar direitos, garantias e a liberdade. É buscar garantir direitos aos desassistidos, à injustiça. Quando percebemos que as minorias não são ouvidas é quando sabemos exatamente que a cidadania lhes foi negada.

É no dia a dia que nós exercemos nossa cidadania. Quando vivemos numa sociedade justa, todos devem ser tratados da mesma forma e com os mesmos direitos. Nas relações que estabelecemos com os outros indivíduos, com a coisa pública e a natureza.

A cidadania passa por temas como solidariedade, democracia, direitos humanos, ecologia, ética. E a cidadania nunca acaba, sempre deve ser praticada, por todos nós. Nossa missão nunca tem fim, novos desafios estão surgindo a todo momento.

Cidadania não é apenas votar

Além do voto, é garantido pela Constituição que ser cidadão é ter garantia da dignidade humana, direitos e garantias individuais, políticas, sociais, econômicas e culturais.

Cidadania é a participar efetivamente para o futuro de um Estado por meios que façam com que os representantes do povo, eleitos para cargos políticos, cumpram as funções a eles atribuídas. 

Assim, precisamos conhecer nossos direitos e deveres e atuar de forma ativa para que nossos direitos sejam respeitados, mas ainda mais pelos direitos daqueles que estão desassistidos pelo Estado, e que, por certo, não tem sua cidadania respeitada.

Direito à vida, à liberdade, à propriedade, à igualdade, enfim, direitos civis, políticos e sociais. 

E quais são nossos deveres enquanto cidadãos?

Como deveres, temos que saber das nossas responsabilidades, enquanto integrantes do Estado, para que este funcione de forma correta, justa, para, assim, atingir a coletividade e o bem comum.

Cobrar honestidade, transparência, democracia e a garantia de nossos direitos fundamentais do nosso Estado, não é apenas nosso direito, é nosso dever, pois só assim teremos uma sociedade com menos desigualdades, com mais justiça social e solidária.

Com o intuito de promover a cidadania, criação de vínculos e protagonismo social, alunos Maristas também podem participar de iniciativas educacionais no contraturno, nas escolas sociais, que tem o intuito de desenvolver o estudante em sua integralidade. 

Para saber mais, clique aqui.

Devemos colocar o bem comum em primeiro lugar e atuar sempre que possível para promovê-lo e a cidadania é um caminho que aponta Como e onde podemos resolver nossos problemas sociais, ou seja, na vida em sociedade e no exercício de nossos deveres e direitos.