Empatia no dia a dia: pequenas atitudes que causam grande impacto

Nos dias atuais, nunca foi tão importante olhar com empatia para quem mais precisa e que pode estar ao seu lado

Você com certeza já ouviu falar de inteligência emocional e em como essa habilidade tem sido cada vez mais valorizada no mercado de trabalho. Dentro deste conceito está uma série de características pessoais que influenciam positivamente os relacionamentos e o desempenho de um profissional. A empatia é uma delas: pequenas atitudes cotidianas que causam grande impacto — não só na carreira, mas na vida.

Para construir relacionamentos saudáveis, se comunicar de maneira eficiente e com compaixão, além de afetar positivamente as pessoas ao seu redor, é crucial ser empático. Pode parecer algo complexo, mas na verdade, a empatia é uma prática na base da vida cristã.

Ouvir com atenção, se colocar no lugar do outro e tentar entender de onde ele parte ou como se sente são bons primeiros passos. Além disso, também buscar compreender por que os comportamentos surgem diante de certas motivações. Ser empático é saber ouvir, refletir sobre os pontos de vista do outro e ser capaz de entender melhor por que diferentes pessoas reagem à mesma situação de maneiras tão distintas.

Este exercício constante de se colocar no lugar do outro e andar pelo caminho que ele percorreu nos coloca mais próximos da vida consagrada, daquilo que Deus espera de nós e Jesus nos ensinou.

Isso não demanda esforços hercúleos, muito pelo contrário: pequenas atitudes no dia a dia constroem, aos poucos, uma postura empática e contribuem para a vida daqueles ao seu redor.

Atitudes cotidianas para ser mais empático

Antes de tudo, lembre que você precisa estar bem para ajudar os outros. Ou seja, se acolha, se cuide, se dê o direito de ter um tempo de contemplação e silêncio. Busque se conhecer e estar perto de Deus para que você possa, inclusive, entender os sentimentos alheios. Entender os seus é o primeiro passo. 

Lembre que pessoas diferentes têm histórias e pontos de vista diferentes. Não pensamos igual. Ainda bem! Nossa diversidade e pluralidade é o que nos faz mais fortes, é o que nos permite aprender uns com os outros.

Escute atentamente, para compreender. Não faça julgamentos com base em ações: pessoas cometem erros, mas isso não as torna erradas. Uma ação não define o caráter de uma pessoa. Há tanto o bem quanto o mal dentro de nós, e a vida é um exercício árduo de evolução e caminhada em direção ao bem.

Entenda que ser empático não significa apresentar uma solução ao problema alheio, ou querer tomar as rédeas da situação. Muitas vezes, inclusive, significa simplesmente se fazer presente, oferecer seu tempo e colo, se necessário. Ou, apenas, ouvir.

Todos nós queremos ser ouvidos. Seguimos nesta vida em busca de amor, afeto e atenção. Por trás de todo comportamento, há uma necessidade pulsante  –– o primeiro passo para notá-la é estar disposto.

Fonte: PMBCS.