Inspiração das mulheres na vida cristã: o legado de Santa Clara de Assis, Fundadora da Ordem Franciscana

Santa Clara voltava sua espiritualidade para atenção à pobreza, a oração e a ajuda aos mais necessitados

Imagem Santa Clara. Fonte: Irmãs Franciscanas Filhadas da Divina Providência.

Santa Clara de Assis (1194-1253), em italiano, Santa Chiara d´Assisi, foi exemplo de solidariedade e procupação com o próximo. Clara foi a fundadora na área feminina da Ordem Franciscana, chamada de Ordem de Santa Clara ou Ordem das Clarissas. A misão de Clara era construir pontes, diálogos entre todos os povos e sua repercussão continua sendo atual.

Em 2020, o Papa Francisco convocou uma reunião com todos os países para abordar uma nova economia. Essa iniciativa foi chamada simbolicamente de “Economia de Francisco”, pautada no que seria a visão de São Francisco de Assis. A partir disso, surgiu um amplo movimento por parte de comunidades de diversas religiões, em torno de uma ideia básica – a de que a economia deve servir à sociedade, e não o contrário.

Assim, a Articulação Brasileira pela Economia de Francisco e Clara (ABEF) trouxe para a discussão a visão de Santa Clara de Assis. Foi então elaborada uma Carta publicada pela ABEF, que elucidou o seguinte:

“Escutando a silenciosa linguagem de Clara de Assis, nós nos fazemos ponte a ligar ‘os que têm de sobra com aqueles que sentem falta de tanta coisa’. Para as novas economias no século XXI, masculino e feminino tem que caminhar lado a lado, ombreados, nem à frente nem atrás, mas de mãos dadas, como o “Irmão Sol” e a “Irmã Lua”. Economia de Francisco e Clara é o que pretendemos praticar e honrar.”

Essa inspiração premeditada na Carta reforça ainda a intenção de que Clara e Francisco tragam luz para a mudança no enfoque hoje estabelecido nas relações econômicas. O objetivo, portanto, seria uma relação de equidade frente aos conflitos na divisão sexual do trabalho. É uma reivindicação para valorização dos saberes tradicionais das mulheres e suas formas de cuidado e respeito à natureza cíclica de nossa casa comum, o planeta Terra.

Consideranto que o patriarcado reduziu a economia unicamente à dimensão material e produtivista. Essa concepção distorceu o sentido do bem-estar social, produzindo iniquidade e infelicidade.

A jornada de Clara

De família nobre e rica, com muitas propriedades e até mesmo um castelo,  se destacou desde cedo por sua caridade, tanto que ao se deparar com a pobreza evangélica de São Francisco de Assis, acabou por ceder à tendência religiosa e à fé e segui-lo. Sua família pretendia lhe arranjar um casamento vantajoso e em oposição à família, aos 18 anos, e então ela fugiu, abandonou seu lar para seguir Jesus. 

Ela foi ao encontro de São Francisco de Assis, vendeu tudo, até seu dote para o casamento e distribuiu aos pobres. Depois, fundou o ramo feminino da Ordem Franciscana, conhecido também por Damas Pobres, e viveu na prática e no amor a mais estrita pobreza.

Um dos milagres atribuidos a Clara aconteceu em vida, demonstrando sua grande fé. Uma das suas irmãs saiu para pedir esmolas para os pobres que iam ao mosteiro. A irmã não conseguiu quase nada e voltou desanimada. Santa Clara, então, consolando-a disse “Confia em Deus”. Quando a Santa se afastou, outra freira foi pegar o embrulho que trouxera e não conseguiu levantá-lo, pois tudo havia se multiplicado.

Em outro momento, quando ocorreu a invasão de Assis, Santa Clara pegou o ostensório e a hóstia consagrada e ao enfrentar o chefe dos sarracenos, disse que Jesus Cristo era mais forte que eles. Com isso, os agressores, tomados por pânico, fugiram. E foi por este milagre que a representação da imagem de Santa Clara é segurando o Ostensório.

A padroeira da Televisão

Outro fato curioso da história da Santa é que em 1253, um ano antes de sua morte, ela queria muito ir à missa, porém estava doente e acamada. Entrou em oração e assistiu a Celebração da Eucaristia de sua cama, em seu quarto no convento, por meio de uma projeção na parede do seu quarto, com imagem e som, por isso, é aclamada como protetora da televisão, tendo sido proclamada assim em 1958, o Papa Pio XII.

O legado

Fundadora das Clarissas, teve nomeados conventos em vários lugares da Europa. Foi Canonizada por Alexandre IX, em 15 de agosto de 1265. Confira alguns dos templos que foram erigidos em sua honra: