Não importa o trabalho, ser voluntário é o que realmente importa

“Nós somos úteis, necessários e importantes”, cita o estudante da PUCPR e voluntário, Picasso Rodrigues

 

Voluntário desde a adolescência, Picasso Rodrigues, estudante de medicina da PUCPR, já participou de inúmeros projetos como voluntário: auxílio em asilos, clínicas de recuperação de dependentes químicos, orfanatos, Missão Juventude Marista, Missão Irmão Henry Vergès, Projeto Rondon, entre outros.

Picasso conta que há grande crescimento pessoal em ser voluntário, pois cada ação envolve muitas experiências diferentes. Revela também que a experiência mais marcante ao longo de seu voluntariado ocorreu em Palmas (PR). Ele e outros voluntários aceitaram almoçar na casa de um garotinho, em um bairro de extrema vulnerabilidade.

Enquanto para os voluntários era “nada mais” que um almoço, para aquela família era um grande acontecimento, a família se sentiu realmente honrada em receber os voluntários em sua casa. Algo além da compreensão dos voluntários, contou Picasso.

No voluntariado, realmente não importa seu grau de formação ou conhecimento. Também não importa o que você faz naquele voluntariado, qual sua função específica, afinal o importante e o  que realmente faz a diferença é ajudar. Eu aprendi que no ser voluntário não existe mais ou menos importante, nem maior ou menor, é só ajudar e ponto”, relata o estudante.

Acesse nossa Playlist Solidária e confira o depoimento do Picasso sobre o ser voluntário