No Dia Internacional da Mulher, colegas da Província compartilham dicas de estudo

Quem é Marista de Champagnat, sabe da importância do exemplo de Maria e do potencial feminino para a obra educativa e evangelizadora que começou há mais de 200 anos. O testemunho de determinação de Maria – assim como das Irmãs Maristas, colaboradoras, educadoras, leigas, voluntárias, entre tantas outras mulheres que somam à nossa missão hoje em dia – segue inspirando e norteando o caminhar marista.

Por isso, para celebrar o Dia Internacional da Mulher de 2022, além de reforçar o compromisso com o respeito em todos os dias do ano, queremos também traçar um paralelo com o que faz parte de nossa essência: o potencial transformador da educação. Até porque, como Maristas, acreditamos que a educação é uma via para um mundo mais justo para as mulheres e a sociedade por inteiro.

Em parceria com o portal Farol 1817, apresentamos dicas de estudo de colaboradoras da Província. Elas compartilham conosco maneiras de investir em conhecimento e métodos que ajudam a agregar aprendizados. E mostram que a educação no sentido mais amplo pode fazer parte de nosso cotidiano em todas as fases da vida, não apenas nas circunstâncias reconhecidas como educação formal.

Elinéia Denis Ávila

“Eu acredito muito no formato de estudos intencionais, guiados por assuntos de interesse ou por necessidade, mas é importante colocar qual sua intenção naquele tema. Então traçar um plano para entender seus assuntos de interesse, ou necessários para sua vida ou carreira, pode ajudar muito nessa busca em livros, sites de educação à distância, artigos, textos e cursos livres. A curiosidade é uma grande aliada na hora de construir repertório, então na hora de planejar os estudos é bom liberar bem a mente para buscar por coisas aleatórias primeiro e depois decidir um caminho a seguir. É sempre legal delimitar o tema e buscar por ele. Em seguida, por coisas relacionadas e ir criando um portfólio de textos, blogs, podcasts, vídeos e cursos que você gostaria de fazer para se aprofundar nele. E, depois, criar uma ‘agenda’ do que fazer primeiro e em que ordem esse estudo acontecerá. Boa parte dos cursos livres não são bem aproveitados, pois nem sempre nossa intenção sobre eles é clara”.

Vanessa Wilczek de Oliveira

“A tecnologia é uma grande aliada para quem tem filhos pequenos e gostaria de continuar estudando. Formações à distância trazem flexibilidade nos horários, é possível organizar a rotina e aproveitar os momentos de descanso dos pequenos. Ainda assim, não é uma tarefa simples, ter uma rede de apoio faz toda diferença. A ajuda de amigos ou familiares é sempre muito bem-vinda e vai colaborar para conseguir um tempo extra para focar nos estudos”.

Eliziane da Silva Fabris

“O que sempre me ajudou a estudar é anotar tudo aquilo que eu estou ouvindo em uma aula, ou grifar e fazer anotações sobre um livro que esteja lendo. Como minha mente é bastante acelerada, fazer anotações me ajuda a me manter concentrada no que eu estou ouvindo/lendo. Posteriormente, quando releio essas anotações, tento fazer um mapa mental de tudo que aprendi, e, de forma prática, tento aplicá-lo na minha vida ou cotidiano. Além das anotações, quando eu decido estudar sobre um determinado assunto, dou preferência a temas que tenham possibilidade de pôr em prática na sequência, prefiro assuntos que não sejam puramente teoria”.

Sofia Burakowski

“Quando estou tentando entender um conteúdo novo, ou que eu não domino, procuro podcasts e vídeos. Porém, tenho um cuidado com as fontes nessas buscas, sempre dou uma procurada sobre as credenciais de quem irá explicar o assunto, para ter certeza de que o conteúdo é de confiança. Depois dessa pesquisa, acabo assistindo ou escutando, às vezes até mais de uma vez. Isso me ajuda a entender melhor e fixar o conhecimento”.

Fonte: Província Marista Brasil Centro-Sul