Por que o ESG é importante?

por que ESG é importante

Por que esta sigla, ESG, é tão importante? Desde o início de 2020 o termo é comum em matérias e artigos por todos os lados. A abreviação significa em inglês Environment, Social and Governance, e se refere às práticas empresariais ligadas ao meio-ambiente, causas sociais e governança corporativa. E o que isso tem a ver com o cristianismo?

Tudo.

Ecologia Integral e ESG

Em 2015, o Papa Francisco publicou a Carta Encíclica Laudato Si’, e desde então falamos de temas relacionados ao ESG, como Ecologia Integral, Casa Comum, Conversão Ecológica; essenciais à vida Marista e cristã.  O documento trouxe reflexões fundamentais sobre o cuidado com o planeta, “nossa casa comum”.

Um trecho do documento afirma: “O cuidado com a vida não pode separar os seres humanos da maneira como vivem, dado que ambas as realidades estão relacionadas, se enriquecem mutuamente e ajudam uma à outra”. Ou seja, vemos além do meio-ambiente e olhamos também os aspectos humanos e sociais.

Este olhar sistêmico que compartilham ESG e a Ecologia Integral foi detalhado precisamente pelo Papa em um de seus Laudatus:  “uma verdadeira abordagem ecológica sempre se torna uma abordagem social; deve integrar questões de justiça nos debates sobre o meio ambiente, de modo a ouvir tanto o grito da terra quanto o grito dos pobres”.

Companhias que hoje adotam boas práticas segundo os parâmetros ESG estão em completa sintonia com a Missão Marista e a Ecologia Integral. Cada vez mais corporações se preocupam com nossa casa comum, discutem temas cruciais para a manutenção do nosso planeta e sociedade, e buscam fazê-lo em todas as esferas.

ESG no dia a dia das empresas

Se ainda parece um pouco intangível, abaixo listamos alguns exemplos do que o ESG significa na prática para as empresas.

  • Práticas relacionadas ao meio-ambiente
  • Quais e como se utilizam os recursos naturais
  • Descarte de resíduos
  • Emissão de gases
  • Utilização da água
  • Utilização de energia e que tipo
  • Políticas de trabalho
  • Relacionamento com a comunidade onde a empresa está inserida
  • Respeito aos direitos humanos e legislações
  • Aplicação da legislação trabalhista
  • Qual a composição do conselho administrativo e quão isento/independente ele é
  • Diversidade em membros do conselho e funcionários da empresa
  • Respeito à LGPD
  • Nível de transparência na divulgação de dados e relatórios

Fonte: Província Marista Brasil Centro-Sul