Rede de CPVS comemora o Dia Internacional do Voluntário

Em celebração ao voluntariado, lideranças maristas se reuniram em um encontro virtual

As Nações Unidas comemoram o Dia Internacional do Voluntário em 5 de dezembro. Este dia, em todo o mundo, é uma oportunidade única para agradecer a todos os esforços desenvolvidos pelos voluntários, bem como para promover os seus valores e divulgar as suas conquistas.

Para este ano o tema inspirador foi: voluntariado agora para o nosso futuro comum, sublinhando como juntos é possível construir um futuro mais próspero, garantindo a inclusão e o serviço aos mais vulneráveis. Incentivar, reconhecer e promover o voluntariado é uma parte importante da criação de um futuro mais igualitário e inclusivo.

Encontro virtual de lideranças maristas

No dia 6 de dezembro, para celebrar o dia internacional do voluntariado, o CMI promoveu um encontro virtual, com 170 participantes, irmãos e leigos, com a presença da Rede de Coordenadores de Voluntários, pastoralistas e voluntários. Foi uma oportunidade para agradecer aos voluntários e conscientizar sobre a necessidade de promover o voluntariado marista.

Na saudação de abertura, o Irmão Ernesto Sánchez, Superior Geral, sublinhou a importância da missão dos voluntários no Instituto na perspectiva da disponibilidade, e a construção de uma família carismática global a serviço dos mais necessitados.

O Ir. Valdicer Fachi, Diretor do CMI, convidou todos os presentes a seguir em frente e a buscar formas alternativas e criativas de ser voluntário, respondendo às necessidades do mundo de hoje. Da mesma forma, agradeceu todo o serviço prestado pela Rede de CPVs e a generosidade e o exemplo de tantos voluntários maristas em todo o mundo.

Nos vídeos a seguir, produzidos para este momento, os protagonistas falam sobre o significado de Ser voluntário.

VOLUNTARIADO MARISTA

Como maristas, acreditamos que o voluntariado, ao contribuir para o desenvolvimento da cultura da solidariedade, é um instrumento eficaz para construir uma cultura de encontro, que estabelece vínculos entre nações e entre culturas. É uma ferramenta poderosa para compartilhar conhecimentos, habilidades e valores, que contribui significativamente para a redução da pobreza.

Somos convidados a nos abrir, de forma simples, e a estar disponíveis, local ou globalmente, como voluntários, indo além das fronteiras geográficas ou provinciais; a conhecer em profundidade o nosso mundo em contínua transformação e enfrentar os desafios atuais; a abandonar a cultura dos egos e promover ecos, reduzindo o escândalo da indiferença e das desigualdades; a ser agentes de mudança, construtores de pontes, mensageiros de paz, comprometidos em transformar a vida e as realidades imediatas onde estamos inseridos; a converter os nossos corações e flexibilizar as nossas estruturas, sem medo de correr riscos, para nos aproximarmos das periferias, em defesa dos mais pobres e vulneráveis.

Fonte: Maristas de Champagnat.