Sensibilidade ecológica: o cuidado das crianças e jovens

Vida digna e cuidado com a casa comum passam pela sensibildiade ecológica da nova geração preocupada com o presente e futuro

O direito de liberdade de expressão abrange igualmente as crianças e os adolescentes, envolvendo o acesso a buscar, receber e compartilhar informações no âmbito da sociedade. Entre os assuntos de maior interesse desse geração está a preocupação com a natureza e a postura de uma sensibilidade ecológica por parte dessa nova geração.

Neste ano, diante da celebração de 32 anos, o  Centro Marista de Defesa da Infância, do Grupo Marista, com apoio da UMBRASIL, aproveitou para escutar às crianças e aos adolescentes na campanha “Sob o olhar de quem importa”. Agora na a segunda série de vídeos “Olhar que importa” trouxe a escuta dos educadores que interagem com esses jovens, e apresentam suas percepções sobre a questão da preocupação com o meio ambiente.

Clique aqui e acesse nossa Playlist Solidária para conferir os vídeos e o resultado do “Olhar que importa”

Um dos direitos garantidos pelo ECA é o de participação: meninas e meninos têm o direito de fazer parte de debates sobre temas que afetam suas vidas! Além disso, a participação é também um dos quatro princípios da Convenção sobre os Direitos da Criança, da ONU. Garantir esse direito é condição fundamental para a efetivação do conceito de “sujeitos de direitos”, do exercício de cidadania que deve ser garantido às crianças e aos adolescentes.

Para quem quiser se aprofundar na temática, está disponível na plataforma do Farol 1817 o curso “Cidadania em Tempos de Crise”.