Toledo e PUCPR firmam convênio e Castramóvel começa a funcionar em abril

Ação busca acessibilizar a castração de cães e gatos abandonados ou sob a guarda de famílias de baixa renda

A partir de abril, um professor, um profissional residente e quatro estagiários do curso de Medicina Veterinária da instituição participarão do Castramóvel, ação que tem por objetivo acessibilizar a castração de cães e gatos abandonados ou sob a guarda de famílias de baixa renda.

O projeto tem capacidade de realizar cerca de 600 procedimentos por ano e com um grande diferencial: a mobilidade. Isso porque, diferente de uma clínica padrão, o Castramóvel é itinerante e percorre os bairros e distritos para realizar o serviço, facilitando e otimizando os atendimentos, pois ajuda a diluir também as limitações geográficas.

Por sua vez, o município vai ofertar os insumos e a manutenção do espaço para que os estagiários e profissionais atuem com toda a dedicação e cuidado no atendimento dos pets.

Esse tipo de parceria, que envolve a universidade e reflete na comunidade, é um dos pilares do ensino superior, colocando em prática toda a teoria desenvolvida em sala de aula. Mas, além disso, é um reflexo dos valores do Grupo Marista, que vê nas políticas públicas de bem-estar ferramentas para transformar a sociedade.

Assim, ao investir na ampliação dos serviços do Castramóvel, essa cooperação entre a prefeitura e a PUCPR democratiza o acesso ao serviço de bem-estar animal. Além de ser uma ótima oportunidade aos estudantes de vivenciarem o atendimento e a rotina da prática clínica ao lado de profissionais empáticos e solidários, envolvendo-se em uma ação de cunho social.

A castração animal no alvo social

Que os animais de estimação fazem muito bem à saúde mental das pessoas, isso ninguém duvida. Mas é bastante importante cuidar e proteger os pets, o que inclui, entre outras coisas, a castração.

Essa medida é de suma importância para controlar a população de animais, sobretudo dos que vivem nas ruas ou que são abandonados.

Dessa forma, políticas públicas voltadas à proteção animal buscam formas de viabilizar e baratear os custos desse procedimento, que garante uma melhor qualidade de vida aos bichinhos.

Na outra ponta, os estudantes de Medicina Veterinária encontram em ações como a parceria entre a prefeitura de Toledo e a PUCPR para o Castramóvel uma oportunidade de ir além dos conhecimentos anatômicos e bioquímicos de uma cirurgia de castração. Lidar com um animal e com os donos dele envolve também muito afeto, responsabilidade e noção da importância que a castração tem na realidade dos animais de rua.

Por isso, toda essa vivência, troca de conhecimento e amadurecimento, profissional são fundamentais no processo formativo.

Fonte: Grupo Marista.